PORQUE UM NOVO SISTEMA DE RPG?

A idealização deste sistema veio em meados de 2010, quando eu e meus amigos de longa data já estávamos jogando uma campanha de um dos nossos sistemas de RPG favoritos, mas percebemos que tal sistema não dava o suporte para contarmos as histórias que queríamos contar. Não conseguiamos emular certas ações dramáticas que víamos em filmes, quadrinhos e seriados, e queríamos colocar essas coisas que viamos na mesa de jogo, então trocamos de sistema, jogamos outras coisas, outros sistemas, outros gêneros, outras histórias, e continuavamos sentindo a mesma coisa, não existia sistema de RPG atual que desse o suporte necessário para ajudar a descrição das ações dos personagens do jeito que queríamos, a descrição e a interpretação não eram segundo plano nesses sistemas, mas de modo geral as ações não precisavam de muitas descrições de como eram feitas, e era isso que sentiamos falta. Os detalhes de como as ações seriam feitas poderiam mudar o curso do jogo, e os sistemas que tentamos jogar e procurar isso ou tinham regras complicadas demais ou os sistemas não tinham regras solidas para lidar com certos detalhes em jogo. Estávamos vendo diversos seriados e lendo vários livros em que víamos como a descrição fazia toda a diferença, principalmente no combate. Estávamos cansados de jogar como se tudo parecesse um jogo online de massive multiplayer. Onde os personagens  sempre tem algo como uma “barra de vida” e para derrota-los bastava zerar tal barra, quando na verdade víamos que existiam diversos modos de se derrotar alguém sem deixar seu inimigo inconsciente ou morto. E a maioria dos sistemas também trata a interação social de modo simplista, não dando muita margem para a interpretação. Isto pode parecer meio contraditório, mas não é. Como a interação social era sempre decidida com somente duas jogadas de dados, uma de ataque e uma de defesa, os Narradores e jogadores geralmente tinham que se esforçar para tentar incluir suas interpretações no jogo, optamos por um sistema onde cada argumento é como um golpe de espada, pode atingir ou não o seu alvo e pode feri-lo ou não. Assim como quando você vai tentar convencer alguém de algo. Se seus argumentos forem bons, você souber falar com as pessoas e elas estiverem dispostas a ouvir, com somente uma frase você pode conseguir, ou pode ficar horas tentando.

E durante o tempo de 2010 a 2015 eu quis criar um sistema que atendesse as nossas necessidades. Foram criados na verdade uns quatro sistemas de RPG, mas as versões anteriores foram abandonadas por não se encaixarem em todas as nossas necessidades. Nós não queríamos complicar o RPG e nem muito menos complicar os sistemas já existentes. Queríamos enriquecer um sistema de detalhes que fizessem diferença para os jogadores e Narradores. E este tal sistema que queriamos tambem deveria ser simples porque gostamos de coisas mais ágeis e adaptáveis. E é isto que Jornada RPG é, um sistema de RPG simples que presta atenção nos detalhes das ações dos jogadores para modificar os acontecimentos de acordo. Não somente isso, o sistema obriga os jogadores e Narradores a detalharem suas ações, mostrando que as um simples ” eu ataco as pernas dele com a minha espada” já é uma interpretação melhor e que muda totalmente como todos estão imaginando e vivendo o jogo do que um simples “eu ataco ele”.

Este sistema que começou com uma necessidade de um grupo, hoje cresceu tanto que achamos que poderíamos trazer essa experiência enriquecedora a outras pessoas, este sistema foi feito de fãs para fãs visando mostrar um lado do RPG que costuma ser ignorado, trazendo assim mais emoção durante a experiência de jogo.

 

Vinícius “Velholobo” Vale

Comments

comments

2 comentários em “PORQUE UM NOVO SISTEMA DE RPG?

  • 30/08/2016 em 6:43 pm
    Permalink

    Penso que é questão de interpretação, imaginação, descrição e socialização que faltava, não um sistema… Guerra dos Tronos tem um interessante combate social.

    Gilson

  • 30/08/2016 em 6:51 pm
    Permalink

    Guerra dos tronos é um sistema diferente. É se não fosse por ele e outros, ainda jogariamos D&D em qualquer coisa medieval. Entre as poucas boas alternativas temos gurps. Mas mesmo assim ele tem suas peculiaridades que fazem com que ele não seja o sistema preferido dos jogadores para jogar um RPG medieval. Mas o meu sistema tem como foco obrigar o pessoal interpretar, principalmente no combate. Que com o tempo sempre fica ” eu ataco ele, toma x de dano” .
    A interpretação em combate é mais do que isso. O combate é feito de muitas escolhas, mas todas elas se resolvem rapidamente. A questão é fornecer possibilidades! Quanto mais possibilidades mais rico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *